Acompanhe as notícias mais atualizadas do segmento.

Top Of Mind

16 de setembro de 2013

Vidros terapêuticos

Prescrito na dose certa, material tem crescente demanda na área da saúde.

vidros-terapeuticos

Quando as pessoas buscam hospitais e centros médicos especializa-dos para cuidar da própria saúde ou da de entes queridos, conforto, proteção e segurança são alguns dos itens básicos que vêm à mente. O que muitas vezes pouco se percebe é o fato de que boa parte dessa sensação agradável que se tem ao entrar em um ambiente que exige cuidados redobrados frequentemente está associada ao projeto arquitetônico, desenvolvido para garantir bem-estar e aconchego em cada ambiente.
Os materiais utilizados nesse nicho têm diversas aplicabilidades e benefícios, caracterizando-se como uma das melhores soluções encontradas no mercado
Diante desse cenário, o vidro torna-se cada vez mais a matéria-prima protagonista nas obras dos complexos de saúde, por conta de suas propriedades inerentes, que asseguram controle térmico, acústico, solar e de privacidade, com fácil manutenção. “Os materiais utilizados nesse nicho têm diversas aplicabilidades e benefícios, caracterizando-se como uma das melhores soluções encontradas no mercado, como é o caso do PKO Privacy Glass, da linha High Tech, que permite controlar a visualização na divisão de ambientes”, comenta o especialista em especificações técnicas da PKO, Jefferson Martins. Peças desse produto com 0,8 x 0,7 m e 10 mm de espessura foram instaladas nos boxes da UTI do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo (SP).
Segundo o gerente de marketing da Cebrace, Carlos Henrique Mattar, o vidro pode ser aplicado em quase todos os locais da construção, como fachadas, revestimentos, janelas, portas, divisórias, coberturas, guarda-corpos etc. “No caso de fachadas, vale privilegiar a proteção contra raios UV, presente na linha Cool Lite ST/STB ou KNT”, exemplifica. Redução de ruídos, contenção de luz e calor, eficiência energética, segurança dos pacientes e higiene são alguns dos requisitos na hora de escolher o material mais adequado. “Para espaços mais reservados, pode-se optar pelo uso de vidros pintados, como o Coverglass, ou serigrafados, que remetem à modernidade.”

Químicas brasileiras

O investimento em soluções de vidro nessa área torna-se tendência mundial graças à beleza do produto aliada ao desempenho. De acordo com a arquiteta Claudia Mitne, gerente de marketing da GlassecViracon, o material não é priorizado apenas nas obras recentes, mas também de retrofit e atualização das instalações, posicionando o vidro dentro de uma nova composição. “O foco no atendimento ao paciente tem apoio na infraestrutura oferecida”, afirma a especialista, citando o exemplo da obra de expansão do Hospital São Camilo, na Pompéia, em São Paulo (SP), feita pela Racional Engenharia, no qual a empresa forneceu todos os vidros insulados laminados incolores com persiana na câmara, nos apartamentos, e laminados cinza e de controle solar verde nas fachadas e cobertura, respectivamente. Também na capital paulista, um projeto de destaque é a ampliação do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC), cuja primeira fase da obra – uma unidade de seis andares e dois subsolos com 16 mil m² de área construída – foi entregue em 2012, com término previsto para 2015. Nessa etapa inicial, foram utilizados 3 mil m² de vidro laminado de controle solar verde, com espessuras de 10 mm e 34 mm. O projeto de arquitetura é do escritório Aflalo & Gasperini, a consultoria de fachadas da PCD Consultoria, o vidro da Cebrace, o PVB Intercalador da Du-Pont e a especificação diferenciada é da GlassecViracon. A obra está estimada em R$ 100 milhões. Na região de Perdizes, o Hospital Israelita Albert Einstein também é especificado pela Glassec Viracon, que forneceu 17 soluções de produtos, como insulados laminados serigrafados de controle solar, laminados temperados, somente serigrafados, entre outros, com projeto da Levisky Arquitetos Associados, construção pela Racional Engenharia, orientação da QMD Consultoria e 3 mil m² de vidros com certificação Leed.

Vacina arquitetônica
Uma novidade que chega para revolucionar o mercado é o vidro antibacteriano patenteado pela AGC, que oferece uma ação antimicrobiana dos íons de prata nas camadas superiores do vidro, eliminando 99,9% de todas as bactérias da superfície e prevenindo a proliferação de fungos. O material é recomendado para locais que exigem um padrão rigoroso de higiene e tem eficiência comprovada por testes realizados pelo Laboratório de Microbiologia do Instituto de Farmácia da Universidade Livre de Bruxelas. Essa prevenção arquitetônica já foi empregada nos espaços do Pirogov Government Hospital, Saint Ivan Rilski Clinic e Hospital Soligena, todos na Bulgária. Saint Pierre Clinic e Centre de Chirurgie du Pied, respectivamente na Bélgica e França, também aderiram à inovação. O portfólio de vidros antibacterianos da AGC compreende: Planibel AB (vidro plano incolor), Lacobel AB (vidro pintado em 25 cores standard) e Mirox Mnge AB (espelho).
“Foi provado que a luz natural ajuda na recuperação de pacientes e beneficia os funcionários nas tarefas diárias. O uso responsável serve como ferramenta para melhorar as atividades dentro do ambiente de tratamento da saúde”
Localizado na cidade de Stara Zagora, o novo hospital de Saint Ivan Rilsky recebeu 376 m² de vidro pintado Lacobel antibacteriano na cor bege. Já o hospital Pirogov, em Sofia, tem cerca de 450 m² em diversas cores: azul, verde, bege e branco. Ambos os projetos contaram com os vidros da AGC na versão de segurança, aplicados principalmente como revestimentos de parede em salas de operação e maternidades. No hospital Pirogov, o vidro é usado também em outros tipos de aplicações: Uma versão LacobelAB pintado para móveis em determinadas áreas (armários, gavetas), com a versão Planibel AB transparente, é utilizado em portas de salas de operação do hospital Saint-Pierre em Ottignies (Bélgica) e na Clínica Saint-Georges em Nice (França). A clínica do Hospital Saint-Pierre em Ottignies (Bélgica) está instalando vidro azul pastel Lacobel AB em áreas de alto tráfego (salas de espera, salas de consulta, corredores etc.)

Organismos internacionais

Por suas características únicas, o vidro é peça fundamental em um número impressionante de projetos em esfera global. É o caso do hospital universitário Benjamin Russell Hospital for Children, no Alabama (EUA), com design da HKS Inc. em colaboração com o GA Studio, e produtos fornecidos pela Viracon. Maior construção da área de saúde do Alabama, o hospital tem sua estrutura composta por diferentes tipos e padrões, formando uma cortina de vidro que humaniza o ambiente, uma vez que cada quarto de paciente dispõe de uma ampla área envidraça-da. Todos os vidros aplicados são insulados e com revestimentos refletivos e baixo-emissivos. “Foi provado que a luz natural ajuda na recuperação de pacientes e beneficia os funcionários nas tarefas diárias. O uso responsável serve como ferramenta para melhorar as atividades dentro do ambiente de tratamento da saúde”, afirma a associada da HKS Inc., Karen Funke.
“O vidro é um material nobre, dura um longo tempo, mas requer limpeza periódica. Tendências modernas em design hospitalar incluem grandes extensões de vidro em áreas públicas. Às vezes essas áreas são conectadas a pátios internos que criam ambientes naturais, como espaços para funcionários, salas de espera e jardins de cura”, explica a representante do escritório inglês. “Os benefícios para usuários podem ser facilmente notados em um ambiente de cuidado à saúde bem projetado. A facilidade de orientação é um elemento-chave no design e a iluminação natural desempenha importante papel. A circulação em um ambiente complexo é facilmente resolvida com amplos átrios, conexões encobertas e pontes de vidro que interligam áreas de espera e descanso bastante iluminadas.”
Na obra de renovação do New Holdings Offices Humanitas, em Rozzano (Itália), executada pelo estúdio FTA, do arquiteto Filippo Taidelli, a transparência do produto fornecido pela Metalsigma Tunesi spa transformou o local com persianas integradas e grande superfície de vidro de 120 x 550 cm. Outro espaço remodelado foi o St. Thomas’ Hospital, localizado no centro de Londres (Inglaterra) que recebeu aproximadamente 150 m² de vidro estrutural Planar™, da empresa Pilkington. O vidro Planar™ Sun 30/17 foi escolhido como revestimento externo por sua capacidade superior de controle solar, de modo que o edifício aproveite o calor residual sem que o ambiente fique quente demais no verão. As vigas de vidro em lugar de aço aumentam a sensação de abertura e conexão com o exterior. Ainda na Europa, em Oslo (Noruega), o estúdio Henning Larsen Architects está à frente do projeto The Norwegian Radium Hospital, com 8,5 mil m² de área construída e cinco novas instalações de radioterapia, consultórios, laboratório, salas de aula e escritórios, sendo alguns abaixo e outros acima da terra. O elemento central dessa construção são as unidades de radioterapia, dispostas de um modo que os funcionários que estiverem trabalhando ao redor ficassem protegidos, mas com interferência de luz solar. Uma alta fachada de vidro permite grande influxo de luminosidade em todas as áreas do prédio.

centro-medico-mexico

Design inovador do Centro Medico american British Cowdray (aBC), na cidade do México (México), dos arquitetos do HKS inc., proporciona sinergia com o espaço externo.

escritorio-henning-larsen

Ao norte de Copenhague (Dinamarca), o escritório Henning larsen architects concebeu a sensação de tranparência na praça central entre o Egedal town Hall e o Health Centre.

3

Trabalho do escritório Henning Larsen Architects na área de radioterapia do The Norwegian Radium Hospital: pessoas em contato com a luz solar por conta do vidro.

cfdPioneirismo. Projeto desenhado pelos arquitetos do HKS Inc. Para o Benjamin Russell Hospital for Children: fachada composta por quatro tipos de vidros, com painéis de metal e iluminada por LEDs. Fornecidos pela Viracon, os painéis são insulados e compostos por vidros low-e com camada anti-reflexiva

99Fachadas de vidro nos três blocos que se comunicam entre si internamente no Hospital da Bahia, em Salvador (BA), mostram a grandiosidade da obra. Os vidros aplicados são da linha SunGuard, da Guardian, na cor verde.

Funcionalidade e interação entre o espaço existente e a nova extensão são os destaques da obra do New Hospital Hvidovre, na Dinamarca, assinado pelo Schmidt Hammer Lassen Architects.

Renovação do Phoenix Children’s Hospital, no Arizona (EUA), pelos arquitetos do HKS Inc.: o objetivo da obra era criar um verdadeiro oásis.

Solução da SageGlass garante o aproveitamento da luz natural no Children’s Hospital, no Colorado (EUA), trazendo uma sensação acolhedora ao ambiente.

Vidros estabelecem diálogo entre o novo e o antigo no edifício histórico do Royal London Hospital, em Londres (Inglaterra), projeto assinado pelo Estúdio HOK.

Aplicação dos vidros Solarban 70XL e Solarban 60, da fabricante PPG Industries, melhora o desempenho energético do hospital UPMC East, na Pensilvânia (EUA). Os vidros foram processados pela Trulite Glass e a instalação da fachada ficou a cargo da United Architectural Metals.

O sistema estrutural Pilkington Planar foi usado na remodelação do histórico St Thomas’ Hospital, em Londres (Inglaterra): cerca de 150 m² do produto foram usados para a estrutura do projeto.

Fachada do instituto de pesquisa do The Norwegian Radium Hospital, em Oslo (Noruega). Obra imponente graças ao nobre material utilizado pelo escritório Henning Larsen Architects.

Vidro Alice® laminado com low-e e customizado pela GGI para o projeto criativo do Harlem Hospital Center, também do estúdio HOK, mas em New York (NY).

Vidro antibacteriano da AGC aplicado na Saint Ivan Rilski Clinic, em Stara Zagora (Bulgária). Solução que elimina bactérias e previne a proliferação de fungos.

Obra de retrofit com vidro no Hospital israelita albert Eisntein, em São Paulo (SP). Fachada diferenciada em projeto com produtos desenvolvidos e fornecidos pela glassecViracon.

Vidros de controle solar para o vão de luz e serigrafados para spandrel fornecidos pela Viracon para o Amplatz Children’s Hospital, da Universidade de Minnesota (EUA).

Fonte: Vidro Impresso

Faça seu comentário