Acompanhe as notícias mais atualizadas do segmento.

Top Of Mind

03 de junho de 2013

Mineirão tem usina fotovoltaica em sua cobertura

Dizer que o Brasil se tornou um canteiro de obras não é absurdo. Com a escolha do País para sediar a Copa do Mundo, no ano que vem, e as Olimpíadas, em 2016, diversas praças esportivas começaram a sofrer intervenções.

Uma dessas praças é o Estádio Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão. Localizado no bairro da Pampulha, em Belo Horizonte, ele sofreu uma longa reforma que se iniciou em janeiro de 2010 e se estendeu até o início deste ano.

mineirao_blog

Por dentro, aqueles que conheciam o antigo Mineirão dificilmente o reconhecem. Por fora, a sua tradicional fachada de concreto armado foi mantida. No entanto, além de restaurada, há duas modificações importantes. A primeira é a extensão da cobertura por meio de estrutura metálica. A segunda, mais impressionante, foi a instalação de uma usina fotovoltaica sobre a cobertura de concreto do estádio.

A princípio, como noticiamos em o vidroplano, os painéis não levariam vidros. Isso porque achavam que a estrutura da marquise não suportaria o peso. No entanto, após reforço na estrutura e revisão dos cálculos, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) optou pelo nosso material. Vencedora da licitação para a instalação da usina, a portuguesa Martifer Solar lançou mão de células da marca MPrime, de sua propriedade. A linha conta com painéis com vidro temperado texturizado de 4 mm em sua superfície.

A instalação dos cerca de 6 mil módulos fotovoltaicos faz parte do Projeto Minas Solar 2014 e foi financiada em 80% com fundos do Banco de Desenvolvimento da Alemanha, o Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW). Juntos, os painéis têm potência instalada de 1,42 MWp. Toda a energia gerada é injetada na rede de distribuição da Cemig por meio da subestação de alimentação do estádio, sendo que 10% retorna para dentro do próprio Mineirão. Para efeito de comparação, a energia produzida é capaz de atender, aproximadamente, 900 residências de médio porte.

A intenção dos gestores do estádio é que, com a usina, a obra conquiste a certificação Leed (leadership in energy and environmental design), sistema de certificação de construções ambientalmente corretas de maior renome internacional e emitida pelo Green Building Council.

Fonte: Abravidro

Faça seu comentário