Acompanhe as notícias mais atualizadas do segmento.

Top Of Mind

25 de março de 2013

Parece maior, mas não é

Quase sete milhões de pessoas moram sozinhas no Brasil, de acordo com o último Censo. Além dos solteiros independentes, a família do brasileiro reduziu: segundo o IBGE, em 1981 a família era formada em média por 4,3 pessoas – hoje são 3,2 na região Sul, menos de dois filhos por casal.

O reflexo disso são imóveis com orçamentos que cabem no bolso e residências de até 100 metros quadrados. Em vez de apostar em uma boa reforma para abrir os ambientes (o que nem sempre é possível), vale apostar na decoração e disposição de móveis, que dão personalidade aos cômodos e podem trazer a sensação de que são maiores.

O truque sempre eficaz é apostar em espelhos decorativos nas paredes, que sugerem uma profundidade maior ao ambiente – colocar dois espelhos na quina das paredes intensifica o efeito.

Mas alguns cuidados são necessários quando se quer utilizar esses recursos à favor do ambiente. A convite de O Diário, o arquiteto Paulo Nino dá cinco dicas para quem quer mudar o aspecto da casa sem gastar muito:

Espelhos
Um recurso bastante utilizado são os espelhos. Se bem posicionados, podem fazer os espaços pequenos parecerem maiores. Use um ponto focal e posicione o espelho em ângulo para esse ponto, isto vai dar a ilusão de profundidade, porém, é preciso atenção: planeje cuidadosamente o lugar onde a peça será colocada ou poderá acabar sofrendo com reflexos de luz indesejados.

Eles refletem luz natural ou artificial, seja durante o dia ou mesmo a noite, por isso podem ofuscar e iluminar demais o ambiente.Também fique de olho nos cantos mais bagunçados, afinal, se você coloca o espelho em um lugar cheio de objetos, vai acabar encontrando duas vezes mais desorganização.

Iluminação
Na hora de fazer o projeto de iluminação, não poupe os pontos de luz. É melhor ter mais pontos de luz com lâmpadas fracas em cada um (60 W), do que um ponto com uma lâmpada muito forte (200 W). Com uma boa iluminação, o que aumenta é a sensação de amplitude de cada ambiente.

Em áreas onde não há grande espaço na vertical, posicione os pontos de luz próximos à parede, criando um feixe de luz vertical, dando uma sensação de altura que consegue enganar os olhos, criando uma profundidade vertical. Outro recurso para conseguir esse efeito é a utilização de cortinas do teto ao chão.

Mobília
Outro elemento que também se revela eficaz para “aumentar” o espaço pequeno são os tampos de vidro nas mesas e bancadas. Estes vão abrir o espaço e fazer parecer que há um fluxo mais aberto. Madeiras de cores claras dão a sensação de aconchego e leveza.

Se o objetivo é poupar espaço, dê sempre preferência às portas de correr, que facilitam a circulação quando o lugar é pequeno. Além de úteis em armários e racks, as portas de correr são perfeitas para separar ambientes dentro da casa sem causar transtornos nas passagens.

Em quartos a dica é tentar “soltar” os móveis do chão: criados suspensos e camas com base recuada dão a impressão de mobilidade ao ambiente. Pode, ainda, usar portas espelhadas nos armário para dar a sensação de espaços maiores e organizados.

Cores e listras
Um teto mais escuro e paredes mais claras causam a sensação de um lugar mais baixo. Porém, se a ideia é alongar, basta inverter: teto mais claro e paredes mais escuras. Prateleiras próximas ao teto também ajudam a criar linhas horizontais, que têm um efeito visual de alongar ambientes.

A escolha das cores e papéis de parede com listras também pode influenciar. Se a ideia é ter um lugar menor e mais aconchegante, prefira as cores quentes. Mas, se o que você procura é espaço, apele para os tons frios. As listras verticais dão a impressão de aumentar a altura do ambiente e as horizontais, de alongá-lo.

Pisos
Existem porcelanatos que ajudam o ambiente a parecer maior, pois permitem que as distâncias entre as peças seja a menor possível. Além do tamanho e cores, quanto maior as peças, maior será essa sensação. As cores claras e tons neutros também transmitem a ideia de amplitude e arejamento.

O fato de utilizar o mesmo piso em todos os ambientes não é regra. É claro que em ambientes integrados a quebra no tipo de piso irá prejudicar o projeto. O ideal é utilizar o assentamento (paginação) na vertical ou diagonal, do mesmo piso – outro truque para dar profundidade ao local.

Fonte: O Diário

Faça seu comentário