Acompanhe as notícias mais atualizadas do segmento.

Top Of Mind

26 de agosto de 2014

Vidros são mais fáceis de limpar e permanecem limpos por mais tempo

01

 

Eles não fazem parte da cadeia do vidro, embora na maior parte do tempo trabalhem em contato direto com o material, e é deles que vêm a percepção de que o vidro é um material resistente e que não acumula sujeira. Estamos falando dos alpinistas que atuam na limpeza de fachadas, uma profissão de risco que tem se valorizado com a verticalização das grandes cidades.
Nossa reportagem entrou em contato com a equipe da Rope Service, empresa fluminense composta por oito profissionais treinados em alpinismo, e verificou que é infundado o argumento de quem não utiliza fachada de vidro, poque elas sujam com facilidade.
 
02
 
Na manutenção de fachadas, além da limpeza, a equipe atua na inspeção e manutenção, sendo que a ocorrência mais comum é a aplicação de silicone entre o caixilho e o vidro para eliminar infiltrações de água. Fora do ramo de fachadas envidraçadas, a empresa atua também em manutenções diversas em altura, pintura, instalação de letreiros e outros.
Um fato curioso, apontado pelo diretor Samuel Vabo, é que ao passar um orçamento para limpeza de uma fachada, a empresa não leva em conta a altura do prédio, mas a dificuldade do trabalho é avaliada pelo tipo de sujeira, entre outros itens.
 
03
 
No caso, ao avaliarem fachadas revestidas com pastilhas, vidros, ACM, concreto e alvenaria, a empresa considera o vidro o material mais fácil de limpar e o ACM o mais difícil por acumular sujeira.
A Rope gasta, em média, três horas para limpar uma fachada de vidros com dez metros de altura por dez metros de largura, contando da chegada ao local até o recolhimento de todo equipamento.
 
Para que as fachadas envidraçadas mantenham uma aparência sempre nova, a limpeza, segundo Samuel, deve ser feita periodicamente. Essa frequência, no entanto, depende do local onde o prédio está instalado. “Alguns prédios demoram a sujar e outros sujam muito rápido em consequência de sua localização”, explica o empresário.
A equipe da Rope ainda não teve contato com os vidros autolimpantes e nunca tinham ouvido falar dele. Eles não acreditam que esse produto irá prejudicar seus negócios em curto espaço de tempo.
 
Fonte: Tecnologia & Vidro

Faça seu comentário